Comprar x Alugar um imóvel: Quais fatores devo analisar antes de decidir?

Comprar ou alugar um imóvel têm vantagens e desvantagens. Saiba o que deve ser considerado para tomar a melhor decisão

 

 

Um dos principais desejos de todo brasileiro é o da casa própria. Não é a toa que uma pesquisa recente do Instituto Datafolha e o QuintoAndar, diz que 87% dos brasileiros sonham em adquirir um imóvel. E o financiamento de imóveis, movimentou R$ 52 bilhões no primeiro quadrimestre do ano de 2022, segundo a  Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

 

Com o sonho do imóvel a longo prazo, muitos optam pelo aluguel, que se tornou uma solução interessante por fatores financeiros, de praticidade e flexibilidade. Estima-se que 27% dos brasileiros morem de aluguel.

 

De imediato, pode-se afirmar que a decisão entre comprar ou alugar um imóvel não é simples e deve ser analisada sob fatores importantes. Acompanhe alguns abaixo: 

 

1) Financeiro

 

O primeiro fator que deve ser analisado é a própria situação financeira. E mesmo que  pareça uma análise simples de ser feita, muitas vezes, essa é a principal causa de prejuízos e dívidas futuras, pois deve ser planejada a longo prazo e não apenas na condição financeira do momento. Lembre-se, comprar ou alugar um imóvel é um compromisso financeiro, logo é preciso estar financeiramente preparado para isso.

 

O fator financeiro deve ser considerado em qualquer etapa da vida e, principalmente, nesse caso, não poderia ser diferente. Portanto, faça cálculos dos seus rendimentos e despesas — fixas e variáveis —  para ter certeza se é o momento oportuno para assumir grandes responsabilidades. 

 

É importante salientar a importância em ter uma quantia em poupança e/ou algum fundo como o FGTS que pode ser usado para financiamento, por exemplo. Num financiamento, muitos credores pedem uma entrada em torno de 20% e um adiantamento dessa importância mostra uma motivação em fazer o pagamento das parcelas, dessa forma descomplicando negociações. No aluguel, normalmente um caução é pedido.

 

Ter dinheiro guardado, na verdade, é forma sustentável e saudável para iniciar qualquer investimento, por isso, é perigoso investir todo o seu dinheiro num imóvel. Se você passar por uma emergência financeira, como perder o emprego ou um procedimento médico importante, poderá atrasar o pagamento do financiamento ou atrasar o aluguel e perder seu imóvel. Uma boa ideia é ter de três a seis meses de despesas garantidas, especialmente se você tiver família para sustentar. 

 

2) Mercado e Economia

 

Em 2021, o setor imobiliário alcançou números históricos no Brasil  e para este ano o cenário, deve se manter animador. (trazer alguns números)

 

O mercado imobiliário em 2022 deve repetir o feito do último ano, mostrando ser um dos investimentos mais seguros e lucrativos da atualidade.

 

Segundo a Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), o setor movimentou cerca de R$ 11 bilhões em venda de imóveis em 2021. Para esse ano, a expectativa é que, mesmo com o aumento da Selic e as eleições presidenciais, o mercado continue a faturar alto. Sendo estes fatores importantes durante todo o ano de 202, já que com o aumento da taxa básica da economia brasileira, os juros do financiamento imobiliário e do aluguel acompanham.a alta.

 

A economia brasileira avançou 1% no primeiro trimestre de 2022 em comparação com o último trimestre do ano passado, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) 

 

Em relação ao mesmo trimestre do ano passado, a alta do PIB (Produto Interno Bruto) foi de 1,7%. Sendo melhor que as expectativas do mercado financeiro ficavam em torno de uma alta de 1,2% sobre o período imediatamente anterior e de 1,8% na comparação anual.

 

O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país num determinado período e consequentemente, quanto maior PIB, maiores as riquezas do país e com o crescimento econômico, mais oportunidades de investimentos interessantes.

 

Claro, não é necessário virar um(a) economista do dia para noite, mas entender de economia é importante para você entender como ela está relacionada em todos os âmbitos da sociedade. 

 

3) Comprar x Alugar – custo na região

 

É ótimo ter condições financeiras de adquirir ou alugar um imóvel, mas é o imóvel dos sonhos ou um imóvel funcional para a sua realidade de trabalho e conveniência? E querendo ou não, esse questionamento, além do lúdico, do sonho e da realização, também deve ser racional na mais pura matemática.

 

Um dos grandes dilemas para os interessados em imóveis é: comprar x alugar x custo por m², seja para comprar, alugar ou como investimento – comprar para alugar posteriormente. Esse dilema não possui uma resposta certa ou errada, dependendo muito da localização do imóvel, ou seja, há bairros com imóveis perfeitos para comprar imóveis, da mesma forma como há outros bairros em que a melhor opção é alugar.

 

“No nosso país, o financiamento imobiliário é uma questão cultural relacionada com herança patrimonialista. Há uma crença muito forte sobre a casa própria e um grande viés psicológico sobre ter um imóvel. As pessoas ainda são muito apegadas a isso”, comenta Thiago Godoy, head de Educação Financeira da Xpeed School.

 

Mas como escolher entre alugar um imóvel ? Godoy orienta uma simulação: o inquilino deve considerar qual seria a rentabilidade adquirida ao aplicar o valor da entrada do imóvel no Tesouro Direto IPCA+, durante o tempo de duração do financiamento. Então, essa rentabilidade deve ser somada ao valor das prestações do financiamento para o mesmo período.

 

Por último, o valor final deve ser comparado com o valor de aluguel que se pagaria para o mesmo imóvel e mesma quantidade de meses. Em um financiamento de 100 meses, por exemplo, devem ser somadas a rentabilidade da entrada no Tesouro Direto IPCA mais 100 parcelas de financiamento. E então, comparar este resultado com 100 parcelas de aluguel.

 

Explicação: Se a rentabilidade somada com as parcelas for maior que o aluguel pago durante o período, então o aluguel é mais vantajoso. Porém, se a rentabilidade mais as parcelas forem menores que o valor pago com o aluguel, então vale a pena comprar. Faça o cálculo abaixo:

 

 

4) Riscos

 

Para comprar, alugar um imóvel ou em qualquer outro âmbito da vida, haverá riscos, nesse caso, entender a sua tolerância de risco é imprescindível para se tomar a melhor decisão. Acompanhe alguns riscos na lista abaixo:

 

Comprar

  •  Se financiado, em caso de não pagamento, corre-se o risco de perder o imóvel e, consequentemente, todo o investimento realizado;
  •  Antes de comprar um imóvel usado, é preciso pesquisar possíveis dívidas e pendências jurídicas do vendedor, através de uma verificação de idoneidade financeira. Sempre estude o contrato de forma minuciosa;

 

É um bom investimento comprar um imóvel para alugar depois?

 

Essa é uma forma de investimento bem tradicional utilizada pelos brasileiros para ter uma renda extra, seja para imóveis residenciais ou comerciais. Após uma queda do setor que vinha desde 2008, dez anos depois (2018), segundo a revista InfoMoney, o retorno proveniente de aluguel apresenta uma importante recuperação, principalmente nas salas comerciais, que após o avanço da vacinação do coronavírus  somado a retomada da economia, vem fomentando o mercado.

 

Também vale salientar que imóveis residenciais de 1 dormitório como studios e lofts, por exemplo, são tendência de investimentos pelo comportamento do público, que buscam locais menores e com boa localização. 

 

Conheça alguns empreendimentos Melnick de 1 dormitório, tendência no mercado imobiliário.

 

Alugar

 

  • Por mais que seja possível uma proteção por contrato, o locador, pode pedir o imóvel ou despejar o locatário a qualquer momento;
  • Em caso de depreciação do imóvel pelo locatário, os custos de reformas e manutenção ficam por conta do mesmo;
  • Reajustes anuais do valor do aluguel;

 

Desperdiço dinheiro alugando um imóvel?

 

Muito se fala que alugar um imóvel não é um investimento por conta de não ter um retorno dos vencimentos pagos e pelo patrimônio ser do locador, mas há outras opções interessantes no mercado como a locação reversível. 

 

Essa modalidade permite que você utilize as parcelas do aluguel como entrada para compra de um imóvel. Saiba mais sobre Locação Reversível e confira como ela pode transformar seus investimentos.

 

Conclusão

 

A única conclusão que pode ser feita é: de não haver uma alternativa certa ou errada. A escolha entre comprar ou alugar, depende de vários fatores, sendo a maioria deles de caráter pessoal, logo, cabe ao interessado analisá-los baseado em sua vida pessoal e financeira.

Se você quer todo o conteúdo desse artigo resumido em tópicos, baixe a planilha comparativa para você tomar a melhor decisão em momento oportuno. Clique aqui.

Nossa missão é trazer informações relevantes para você viver, conviver e investir cada vez melhor. Um conhecimento especializado que vai além do metro quadrado, que vai ALÉM DO CONCRETO.

Relacionados

Favoritos

Trabalhar

Quer receber nossos conteúdos e dicas semanalmente?

Inscreva-se ao lado e não perca nenhum conteúdo!